terça-feira, 3 de abril de 2012

Algo a dizer?

Quando se tem muito a dizer, mas palavra alguma sai. Um aperto no peito, uma saudade, lembrança que dói. Vontade de tapar os ouvidos para certas coisas. Fazer do ouvido um objeto seletivo, que só absorve o que se quer. Da boca, que agora não sai nenhuma palavra, uma vontade de gritar milhões de explicações e lamentações. Se a sinceridade, franqueza, coragem e amor fossem características fiéis do ser humano, talvez falar não fosse assim tão difícil e escutar e compreender alguém, sem fazer julgamentos, fosse possível.

Num mundo que adora dividir, separar, distanciar, o tempo muitas vezes só maltrata, não traz cura. E aqui, mais um corpo que se cansou, mas ainda tem fé. Que prefere o amor ao ódio, o perdão ao rancor e que sempre, por mais que doa, vai estar de pé.

4 comentários: