terça-feira, 13 de novembro de 2012

Sem mais perguntas


E agora? 

- Agora eu só quero saber quando a gente deixa de sofrer por quem não sabe amar direito.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Pequena silenciosa


Fingir ter uma venda nos olhos, algo que lhe feche a boca e que só se abre para agradar. Ela chora debaixo do chuveiro para ele não escutar suas lágrimas. Faz súplicas ao silêncio, grita para o longe com a cabeça voltada em direção à esperança.

Chega o dia ela não vê, chega a noite e ela também não consegue perceber. Se olhar no relógio vê que perdeu muito tempo e se pergunta com o quê, por quê? Ela sabe que não está bem. Mas está. Se cala, não murmura. Tem coisa pior. Um dia muda.

Ela se cansou de conversas que não chegam a lugar nenhum. Cansou de ouvir desculpas e reclamações, de conselhos e de apontamentos. Ela se cansou. E quando a gente cansa o que faz recuperar o fôlego? Eu não sei. Às vezes espera passar o tempo. Espera ele trazer a resposta. Mas hoje, e nos últimos meses, ela se recupera a todo o momento, a todo silêncio. Eu nem sei como, mas, mesmo cansada e sem forças, ela me traz esperança. Ela é a minha semente de fé.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Busca

Eu vivo achando que perdi as coisas, mas a verdade é que só não me lembro onde deixei. São raras as vezes que perdi mesmo. Enfim... Eu acho que perdi algo de novo e não sei mais onde procurar. Será que essa também foi uma das raras ocasiões em que eu perdi de verdade? Será que quando eu já não estiver procurando tanto - o que sempre acontece - eu vou encontrar? Só tem uma coisa. Eu nem sei muito bem o que procuro.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Falta luz nesse monte de escuridão.

O seu sorriso anda muito amarelo, menina.
Seu espírito leve e bondoso já não reluz mais.
As ações já não são tão bonitas quanto seu discurso.
Esqueceu de colocar em seu “currículo” seu monte de vaidade.
Seu egoísmo fez o favor de cancelar tanta solidariedade.
Veste uma armadilha de isopor pintada de aço. Forte e robusta por fora, mas qualquer objeto lançado pode atravessa-la e fazer grande estrago.
Os alhos azuis, muitas vezes marejados, já não são tão sinceros.
Braços e pernas cansadas, hoje só se movem em direções contrárias. É mais difícil quando seu coração e suas palavras não estão em concordância, não é?

domingo, 13 de maio de 2012

Quando crescer eu quero ser


Igual a ela. Sem tirar, nem por. Quero a força e sensibilidade que ela tem. O amor que ela transmite e construiu. O sorriso verdadeiro, os olhos sinceros e o toque mais agradável e acolhedor do mundo. Quero saber dar conselhos, como os que ela me deu e ainda dá. Ser companheira, amiga, família e mulher. Quero ter a fé e esperança na vida, assim como ela também tem. Ser guerreira, exemplo e inabalável. Quero falar e mais do que tudo saber ouvir. Que todo sentimento venha livre de interesses, preconceitos e julgamentos. Que eu saiba, assim como ela, amar por inteiro. Quero ser exemplo, carinho, consolo, porto seguro. Quero ser o colo pra alguém.
Quero ser minha mãe, totalmente igual a ela – a mulher que eu mais amo e admiro nesse mundo todo. E se você, mãe, ainda não souber disso, eu juro que um dia provo com todas as letras e toda a emoção o quanto eu te amo e te quero bem.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Algo a dizer?

Quando se tem muito a dizer, mas palavra alguma sai. Um aperto no peito, uma saudade, lembrança que dói. Vontade de tapar os ouvidos para certas coisas. Fazer do ouvido um objeto seletivo, que só absorve o que se quer. Da boca, que agora não sai nenhuma palavra, uma vontade de gritar milhões de explicações e lamentações. Se a sinceridade, franqueza, coragem e amor fossem características fiéis do ser humano, talvez falar não fosse assim tão difícil e escutar e compreender alguém, sem fazer julgamentos, fosse possível.

Num mundo que adora dividir, separar, distanciar, o tempo muitas vezes só maltrata, não traz cura. E aqui, mais um corpo que se cansou, mas ainda tem fé. Que prefere o amor ao ódio, o perdão ao rancor e que sempre, por mais que doa, vai estar de pé.

domingo, 4 de março de 2012

Feito para mim

"Corajosa. Você foi corajosa. Não tinha que escolher, você foi escolhida e quem é escolhido pelo amor não tem alternativa, não tem rota de fuga". 
A gente quebra a cara, arrisca tudo, aposta alto, sonha e voa com asas de ilusão. Mas quando a gente ama de verdade, a certeza desse amor é mais forte que tudo, e essas loucuras, sentimentos incertos, inseguros passam a ser enganação de pequenas paixões do passado.
Eu sempre disse, apesar de não ser muito romântica, que a gente só ama de verdade uma única vez. A gente se engana com os amores cheios de roteiros, que passam/nos apresentam por aí. Mas amor de verdade não está nos livros, nos contos, fábulas, filmes e novelas. A gente sabe que é amor quando ele te completa, quando não se sonha, se vive.

"O amor é mais do que palavras, frases feitas perfeitas. É mais do que ter um bem. O amor é mãe, é pai de todas as riquezas. É o dom de se dar pra alguém. "
— Jamil e uma noite - Dom de se dar.